Comunitária reclama de falta de iluminação pública na Vila Débora e diz que população teme assaltos

MARIA DAS DORES – BAIRRO VILA DEBORA ELA DIZ ESTAMOS COMENDO DAS CHUVAS PREVISTAS PARA NOSSA REGIÃOAlém dos problemas estruturais, outro problema tem tirado o sono dos moradores da Vila Débora, em Petrolina. Segundo a moradora, Maria das Dores, a escuridão está tomando conta de algumas ruas do bairro e aumentado a insegurança da população.

Maria conta que a comunidade era tranquila, mas uma onda de assaltos estaria preocupando a população. “Dificilmente passa ronda policial por aqui a rua 9 é um problema sério de iluminação pública. Alguém tem que socorrer a gente porque aqui era um bairro tranquilo, mas de um tempo para cá a situação é séria. Esta semana roubaram cinco celulares do vizinho”, conta a moradora.

Enquanto isso…

Juiz-que-se-acha-Deus_jpg_pagespeed_ce_Y7IgkwXmOl

Sesc Petrolina promoverá encontro literário com jornalista, pintora e escritora Marina Colassanti

MarinaCinco dias dedicados à arte da palavra com recitais, mesas redondas, intervenções, palestra, lançamentos, relançamentos de obras literárias e a presença de escritoras de renome nacional, a exemplo de Marina Colassanti e Cida Pedrosa. Já está tudo pronto no Sesc Petrolina para a realização, de 24 a 28 deste mês, do projeto ‘Entre Margens’.

O encontro literário, que pretende aproximar as cidades vizinhas e criar pontes com a produção de outros rincões, começará na segunda-feira (24), às 15h, no teatro Dona Amélia, debatendo o tema “A Literatura de Juazeiro e Petrolina em provocação”, com as participações de Elisabet Moreira, Odamaria Macedo e a mediação de Cida Pedrosa. Às 20h, o Núcleo de Teatro do Sesc apresentará o recital Palavras Andantes.

Daí em diante, a programação prosseguirá proporcionando a troca de vivências e saberes, sempre a partir das 15h. Na terça (25) a mesa “Correntezas do Século XXI” trará Bruno Liberal, Cida Pedrosa, João Gilberto ou John Willis e a mediação de José Manoel Sobrinho. Logo depois, às 18h, todos serão convidados à Porta do Rio (na Orla 1), onde vai acontecer a intervenção Palavras Andantes. Às 20h, as atenções se voltarão para o Sesc Petrolina, com a palestra da jornalista, pintora e escritora de mais de 50 livros publicados, Marina Colassanti.

Na quarta, a mesa vai tratar do tema “O autor local: perspectivas de uso em sala de aula”, com Cátia Cardoso, Josemar Martins ‘Pinzoh’, Genivaldo Nascimento e a mediação de Edneide Torres. Às 18h, a Porta do Rio receberá novamente a intervenção Palavras Andantes, quando os escritores Klébia Peixinho e Tito Souza lançarão o livro “Pedras ao Infinito” às 19h, no Terraço da Galeria de Artes Ana das Carrancas. Para concluir a programação da quarta, Antonio Pablo e Fernanda Luz mostrarão, às 20h, no teatro Dona Amélia, o recital ‘Lembranças de Pedras’, sobre a obra do poeta José Raulino Sampaio.

Sonora Brasil

Para discutir o tema da quinta, “Auto publicação: possibilidades de navegar”, subirão ao palco do Teatro Dona Amélia Socorro Lacerda, Luiz Hélio Alves e Virgilio Siqueira, com mediação do jornalista Carlos Laerte. Na sequência, a Porta do Rio voltará a apresentar a intervenção Palavras Andantes, às 18h. Já às 19h, o público será convidado ao terraço Galeria de Artes Ana das Carrancas para o relançamento de vários livros de autores regionais. O poeta Virgilio Siqueira e o músico Davi Siqueira apresentarão às 20h, no teatro Dona Amélia o recital ‘O menino e o poeta’.

Encerrando o encontro, na sexta (28), o projeto Sonora Brasil trará às 20h, no teatro Dona Amélia, o espetáculo Quinteto Brasília – um dos principais grupos de câmara da região Centro-Oeste e um dos poucos quintetos clássicos de sopro em atividade no país.(fonte/foto: CLAS Comunicação)

Artigo do leitor: Círculo Operário de Juazeiro completa hoje 60 anos de luta

Circulo OperárioInstituído em 15 de novembro de 1954 pelo padre Teofânio, o Circulo Operário de Juazeiro nasceu como entidade filantrópica com o objetivo de reforçar a luta dos operários nos anos 50 e auxiliar no desenvolvimento social.

Hoje, o Círculo aluga suas salas para pequenos comerciantes e oferece diversos cursos à população, a exemplo das aulas de Artes Marciais disponibilizada a preços populares, Cursos de Corte e Costura e Informática. Neste artigo, o estudante de Jornalismo da Uneb, Krishnamurti Silva de Lima, destaca lembra a trajetória da entidade.  Confiram:

Círculo Operário de Juazeiro: 60 anos de história e contribuição à sociedade do Vale do São Francisco

A instituição filantrópica nasceu num período marcado por reivindicações do proletariado e sobrevive, até hoje, graças ao empenho dos seus associados.

No Brasil, os anos 50 foram marcados por inúmeras movimentações e avanços nos mais diversos âmbitos. A década, que ficou conhecida como “anos dourados”, culminou também em várias manifestações de caráter popular. Querendo vez e voz, a classe proletária se uniu contra a burguesia – caracterizada pelos detentores dos meios de produção – e a favor de melhores condições para sua categoria. Para a fortificação do movimento, a Igreja Católica foi fundamental, pois através de apoio de padres os operários conseguiram formar centros de encontro e apoio. Foi assim em Pelotas – RS o primeiro Círculo Operário formado no Brasil graças ao empenho do Jesuíta Leopoldo Brentano. O “circulismo”, então, surgiu baseado na interpretação de ação social alimentada por essa corrente católica, e galgada na estratégia da reforma social e do assistencialismo – políticas presentes no governo Getúlio Vargas.

Vindo da Holanda, o Padre Pascoal Stallaert aceitou a missão de trabalhar em terras brasileiras em funções missionaristas. Após sua chegada ao Rio de Janeiro, em fevereiro de 1949, onde aprendeu a língua portuguesa e se acostumou aos costumes nacionais, o Padre, “rebatizado” de Teofânio, foi transferido para Juazeiro-BA. Chegando ao Vale do São Francisco, o Padre se afeiçoou às terras nordestinas e ouviu os anseios da população operária fundando, assim, o Círculo Operário da cidade, no dia 15 de novembro de 1954. Naquele período de atividade, o Círculo Operário funcionava nos moldes dos atuais sindicatos de trabalhadores. Além de congregar a comunidade proletária, serviços básicos sociais eram oferecidos – como atendimento dentário, direcionamento jurídico e até pecúlio por morte.

Com o passar do tempo, o Círculo foi perdendo suas funções primordiais, pois essas foram substituídas por programas sociais e políticas governamentais, somadas ao esforço maçante das lutas sindicais e dos movimentos sociais em todo o país. Além disso, seu caráter filantrópico perdeu o índice cristão e hoje se apresenta de natureza laica.Assim sendo, a instituição passou por períodos de estagnação e penumbra e sua sede física, que fica localizada atrás da Igreja Matriz de  Juazeiro-BA, se assemelhou com um grande “casarão assombrado”. Seus associados, de maioria anciã, não conseguiam mais participar das assembléias e a diretoria não via saída para essa crise, que quase culminou no fechamento do estabelecimento. Dona Ananda Simão, dona de casa noventenária e associada à organização, disse que o estado do Círculo naquele momento, por volta dos anos 80, do século XX, se assemelhava a uma pessoa em estado vegetativo: “Ninguém nunca mais tinha ouvido falar da situação do Círculo. Estavam incomunicáveis”.

O período de ressurgimento do movimento Circulista se deu no começo de 2004 quando, após 16 anos sem eleições, uma nova diretoria foi nomeada. O professor universitário Jorge Simão capitaneou a mudança e deu novos ares a um movimento que por ora, cada vez mais, culminaria com o desaparecimento. Como parte diretora, Maria de Fátima Pereira e Fabrizio Fatel foram ajudantes dessa redenção. Fátima conheceu o Círculo Operário muito antes de sequer se dar conta do movimento operário. A sede do Círculo era também espaço físico da Escola Estadual de mesmo nome: “Com cinco anos de idade foi minha primeira escola.” Muitas décadas depois, Fátima descobriu o movimento por um ex-namorado que fez parte da CBTC (Confederação Brasileira de Trabalhadores Circulistas), que gerencia os Círculos Operários nacionais – e resolveu fazer parte do quadro de sócios. Após 10 anos de atuação ativa na instituição, Fátima só se afastou do Círculo depois do falecimento do Prof. Jorge, mas sempre está a par do que acontece com a organização.

Fabrizio Fatel, popularmente conhecido como Bambam, é um dos grandes nomes do rádio Juazeirense e ator consagrado de Teatro. Precursor do Stand-up Comedy na região, Fabrizio também conheceu o Círculo Operário por acaso: “Eu procurei o presidente porque estava querendo um espaço para ensaiar uma peça [de teatro]”. A resposta da diretoria foi positiva, desde que ele passasse a integrar o quadro de sócios do Círculo Operário. Assim Bambam foi se afeiçoando com o mundo circulista e descobriu um dos principais defeitos da “queda”: O Círculo estava fechado à sociedade do Vale do São Francisco. Baseado nisso, Fatel assumiu a presidência e sacrificou sua carreira de radialista e ator para colocar a organização em pleno funcionamento ativo. “O Círculo Operário tem uma história muito bonita para deixar de ser contada” diz Bambam, orgulhoso de ter passado pela casa circulista.

Como consequência de seu trabalho, hoje o Círculo aluga suas salas para pequenos comerciantes e apresentam relevantes cursos de capacitação para a sociedade. Aulas de Artes Marciais disponibilizada a preços populares, Cursos de Corte e Costura e Informática (em parceria com a Empresa Mega curso) são exemplos da nova política que abrange mais do que somente a camada operária: ela circunda toda a população sanfranciscana.

Atualmente, o Círculo Operário de Juazeiro passa por mais uma mudança de diretoria. Dessa vez, o presidente responsável é o contador Antônio Calixto de Souza, que a convite de Bambam topou o desafio de levar adiante o legado dessa instituição que muito tem contribuído a história do Vale do São Francisco. Além do trabalho de rememoração da história circulista, Calixto pretende abranger mais o caráter filantrópico do Círculo, promovendo um diálogo mais próximo entre as lideranças sindicais e a sociedade como um todo. Com 60 anos de história, o Círculo Operário de Juazeiro continua firme e disposta a servir a população do Vale do São Francisco.

Krishnamurti Silva de Lima/Estudante de Comunicação Social  – Jornalismo em Multimeios (Uneb)

Em palestra, diretor da Facape traçará perfil de profissionais bem sucedidos em suas carreiras

PalestraO professor e diretor administrativo/financeiro da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas (Facape), Alessandro Brito, vai proferir no mês de dezembro, em Juazeiro e Petrolina, uma palestra intitulada ‘Profissionais que dão um show’.

A palestra acontecerá no dias 9 de dezembro, no Grande Hotel de Juazeiro, e no dia 11, no auditório do Senai em Petrolina. os eventos começam às 19h30 e contam com apoio do Sest/Senat, Facape e Sebrae/Sertão do São Francisco.

Durante as palestras, o público vai conferir de forma dinâmica e divertida as características dos profissionais exitosos em suas carreiras, desde o diferencial de cada um no mercado de trabalho, suas qualidades e os requisitos observados pelas empresas e instituições na hora de contratar. Outras informações pelos telefones  (87) 8801-4613/9622-8591/9950-0146.

Homem morre após capotar carro na Ponte Presidente Dutra

IMG-20141115-WA0002Um homem de 51 anos morreu na tarde deste sábado (15) após capotar seu carro na Ponte Presidente Dutra, já nas proximidades do Viaduto do Barranqueiro, em Petrolina. O fato aconteceu por volta das 16h, quando o homem saiu de Juazeiro com direção a Petrolina.

Segundo informações policiais, a vítima, Rosemir do Nascimento, teria perdido o controle do veículo após colidir com um poste de iluminação. O homem estava sozinho no veículo e morreu no local.

Betão clama por providências das autoridades para conter ‘cracolândia’ em Petrolina

crack_528x396O vereador Adalberto Filho ‘Betão’ (PSL) chamou atenção das autoridades para a ‘cracolândia’ que está formando nas imediações do terminal rodoviário, na Avenida das Nações, área central de Petrolina.

Na sessão da última quinta (13) na Casa Plínio Amorim, e também pela imprensa, Betão cobrou providências urgentes para conter o problema. Segundo ele, os furtos são constantes nas proximidades e já tem gente até vendendo suas residências naquela área por não aguentar mais a situação.

Até demorou para que algum representante da Casa Plínio Amorim botasse a boca no trombone em relação ao crescente número de viciados em crack que ficam pela rodoviária. No entanto, como disse o vereador, o caso não é apenas “de polícia”, mas também de “saúde”. E de falta de políticas públicas.

MPU abre concurso para procurador com vagas para Sertão e salários de R$ 24 mil

20141114174510266621o

O Ministério Público da União (MPU) abriu, nesta sexta-feira (14) novo concurso público com 69 vagas ao cargo de procurador da República. Interessados na seleção devem ser graduados em direito e ter, no mínimo, três anos de atividade jurídica. As inscrições começam na próxima segunda-feira (17) e vão até 16 de dezembro. O salário é de cerca de R$ 24 mil. Segundo o edital, há três vagas para Pernambuco: uma para o Cabo de Santo Agostinho, outra para Goiana e outra para Ouricuri/Salgueiro.

Para se inscrever, o candidato deve preencher o formulário de pré-inscrição no site da Procuradoria Geral da República (PGR) e pagar a taxa de participação do certame, no valor de R$ 210. Somente após o pagamento será possível realizar a inscrição preliminar, que deve ser feita em uma das Procuradorias da República nos estados e no Distrito Federal. A lista pode ser conferida no edital.

O processo seletivo conta com cinco provas, sendo elas: uma objetiva de abrangência geral e quatro subjetivas relacionadas a cada um dos grupos de disciplinas. Além disso, serão realizadas prova oral de cada disciplina, avaliação de títulos e exames de higidez física e mental. A prova objetiva está prevista para 1º de março do ano que vem. As subjetivas estão agendadas para os dias 16, 17, 18 e 19 de maio.

As vagas foram distribuídas nos estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. (de Agência)

Vereadores de Tuparetama se unem à oposição, mas prometem manter fidelidade ao prefeito

untitledEm Tuparetama (PE), Sertão do Pajeú, dois vereadores da situação decidiram se aliar à oposição para a eleição da nova Mesa Diretora  da Câmara Municipal.

Em entrevista recente, os vereadores Thiago Lima e Danilo do PT explicaram os motivos da mudança. Danilo, que é líder do governo, justificou que o acordo saiu porque o atual presidente da Câmara, Joel Gomes, teria afirmado que Diógenes Patriota era o único vereador com condições de assumir o cargo.

Já o petista Thiago explicou que já abriu mão da presidência na 1ª legislatura e que agora chegou sua vez. Os dois vereadores afirmaram que o acordo não passa por aprovação de contas do ex-prefeito Sávio Torres, as quais estão pendentes, mantendo a decisão de seguirem firmes com o prefeito Dêva Pessoa.

Sobre terem fechado a chapa com a oposição uma hora antes de uma reunião com o prefeito, Danilo disse que não foi de caso pensado e o que houve foi apenas um “desencontro” de horários. (com a colaboração de Anchieta Santos/para o Blog)

Representante da comissão pró-emancipação de Izacolândia rebate declaração de Terezinha Nunes

fernando-e-julio-césar_640x360Um dos principais integrantes da comissão pró-emancipação de Izacolândia, Júlio César Monteiro, não gostou nem um pouco da declaração dada a este Blog pela deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB), a qual se disse favorável à incorporação do distrito ao município de Lagoa Grande (PE). O posicionamento também é defendido pelo líder comunitário Emanuel Carvalho.

Mas Júlio César criticou a “falta de informação” acerca do assunto. Em contato com o Blog, ele ressaltou, primeiramente, que o movimento pela emancipação vai completar dez anos de lutas e até agora sequer foi aprovada a lei, tanto para desmembramento quanto para emancipação, e esta aguarda a derrubada do veto da presidente Dilma Rousseff pelo Congresso Nacional.

“Portanto, tudo que se trate deste tema está proibido pela Constituição Federal, em seu artigo 18, parágrafo 4º, que em seu contexto, dada a nova redação da emenda constitucional 15\96, traz a informação da necessidade de validar uma lei federal que regule os instrumentos de leis estaduais(…) ainda o texto da lei federal, caso aprovada, pede a necessidade de um referendo para incorporação (de Izacolândia) nas duas cidades. Ou seja, Petrolina vai às urnas, e Lagoa Grande também, dizer se quer aceitar a aglomeração de outro município a sua cidade. Isso demandaria muito mais gastos para a união”, argumentou o emancipalista.

Júlio Cesar ainda deixou um recado à deputada e a quem defende a fusão de Izacolândia a Lagoa Grande. “Informo a todos, e principalmente a Teresinha Nunes, que não é acordo entre ela ou prefeito A ou B para emancipar ou incorporar. O processo é soberano e ambos estão inconstitucionais há mais de 17 anos. Ainda digo aos grupos que façam como todos emancipalistas: vão primeiro derrubar o veto. Força, fé e coragem, pois vamos emancipar com a vontade soberana do povo”, completou.

 

 

 

 

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br