Petrolina terá 1ª heliotérmica

Pernambuco terá a primeira usina heliotérmica do País que vai gerar energia a partir da radiação solar. Ela será construída em Petrolina, no Vale do São Francisco, com a capacidade de gerar 1 megawatt (MW) num investimento de R$ 27,5 milhões. “Será um projeto solar sustentável e o resultado será extremamente importante”, disse o coordenador do projeto heliotérmico do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), Eduardo Serra. O empreendimento está sendo implantado numa parceria entre o Cepel, governo do estado, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O Cepel é o centro de tecnologia da Eletrobras, a dona da Chesf.

Dos recursos que serão investidos, R$ R$ 17,3 milhões são da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), R$ 5 milhões da Secretaria estadual de Tecnologia, R$ 4,2 milhões do Cepel, e R$ 1 milhão bancado pela UFPE. “A nossa intenção é dominar essas tecnologias, porque há uma tendência do custo destas energias baixarem e ficarem mais competitivas, como ocorreu com a eólica”, explicou o gerente geral de Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, Fernando Machado.

A intenção do governo (federal e estadual) é fazer do projeto um núcleo de estudos de energia solar com laboratórios bem equipados, capacitando profissionais para atuar nessa área. A usina heliotérmica ficará no mesmo terreno onde a Chesf vai implantar um projeto-piloto de uma usina solar fotovoltaica, na qual serão empregados R$ 45 milhões. O terreno foi cedido pela pela Companhia do Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf).

As obras de terraplenagem da usina heliotérmica começam no próximo mês. Foi assinado, na reitoria da UFPE, um convênio entre os representantes de todas as entidades envolvidas no projeto. Segundo Eduardo Serra, a infraestrutura de Petrolina pesou na hora da escolha do lugar para receber o empreendimento.

O custo da energia solar está caindo e a tendência é cair mais com o aumento do número de fabricantes de equipamentos e mais plantas de produção solar sendo implantadas. Na próxima década, os preços estarão mais competitivos“, afirmou Eduardo Serra.

O secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Marcelino Granja, lembrou que o Estado está negociando a implantação de uma fábrica de placas fotovoltaicas, mas não quis revelar o nome da empresa que já tem um terreno reservado no Parqtel, parque estadual de tecnologia localizado no Curado.

A principal diferença entre as usinas solares fotovoltaica e a heliotérmica é que a última deve gerar uma energia mais barata, porque usa espelhos para captar a radiação, enquanto a primeira usa uma placa que é mais cara, por conter silício. (Do Jornal do Comércio/imagem ilustrativa)

Comentários

2 thoughts on “Petrolina terá 1ª heliotérmica”

  1. umalguem disse:

    parabéns pela a iniciativa, nós carecemos de energia limpa, e com a chegada desta heliotermica espero eu, que petrolina seja auto suficiente em energia e que a nossa energia eletrica fique mais barata com esse emprendimento, que é também mais geração de emprego e renda para a nossa cidade.
    aproveito o espaço para protestar contra a implantação de uma usina nuclear em belem do são francisco, não podemos aceitar esse tipo de energia “suja” no país e, principalmente em comunidades pobres e ribeirinha, isso pode acabar de vez com o nosso velho chico

  2. Antonio Carlos Carvalho disse:

    Passados quase 2 anos, gostaria de saber se esse projeto está em andamento.

Deixe uma resposta

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br