Servidores do MPPE adiam, mas não descartam possível greve

Os servidores do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) decidiram, por meio de assembleia convocada pelo sindicato da categoria , o Sindsemppe, aguardar o prazo de 30 dias acertado na reunião com o procurador-geral, no último dia 15 de setembro.

Ficou marcada uma nova reunião com  para o dia 13 de outubro, quando a categoria deve receber uma contraproposta de gestão. No mesmo dia, uma nova assembleia será realizada para avaliar o documento e só então decidir pela greve ou não. Os trabalhadores aguardam um parecer da Procuradoria Geral sobre o reajuste salarial desde maio último.

Em reunião, Lossio pede a servidores que tirem férias para reforçar campanha de Edinaldo

lossio carrega edinaldoEspalhou-se feito rastilho de pólvora pelas redes sociais um áudio do prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), pedindo carga máxima dos servidores ao candidato governista Edinaldo Lima (PMDB). A ponto de Lossio sugerir que os servidores tirem uma semana de férias para se engajar na campanha de Edinaldo.

O prefeito confirmou ao Jornal do Commercio a veracidade do áudio, que aconteceu no último sábado (24), numa reunião com os servidores. No encontro Lossio adota um tom bem humorado e muitas vezes brinca com os servidores, mas pede o empenho de todos na campanha do seu aliado.

O prefeito disse ao JC não ver nada demais no fato. Ele alegou ainda que suas declarações na reunião com os servidores foram distorcidas, e que seus adversários tentam tirar proveito da situação.

Na reta final da campanha, a temperatura política da cidade começa a fervilhar. (foto/arquivo)

Servidores da Prefeitura de Santa Cruz da Baixa Verde criticam atraso em salários

santa cruz da baixa verdeServidores municipais de Santa Cruz da Baixa Verde (PE), no Sertão do Pajeú, são as ‘vítimas’ da vez em relação a salários atrasados. Segundo informações repassadas ao Blog, a categoria não recebeu seus vencimentos referentes a agosto, que deveriam ser pagos no último dia 10 de setembro.

“Não existe nenhuma explicação, muito menos previsão”, relata um servidor, em reserva. Segundo ele, o setor da saúde pública é o que mais sofre com o problema. “Os funcionários encontram-se indignados e não podem nem reclamar, pois possuem medo de perseguição política. É um absurdo”, desabafa. Com a palavra, a administração municipal.

Bancários de Juazeiro e região reforçam paralisação nacional dos servidores

bancarios-aderem-paralisacao-nacional

Em greve há 17 dias, os bancários de Juazeiro (BA) e região reforçaram a paralisação nacional dos servidores, realizada nesta quinta-feira (22), em prol da manutenção de direitos trabalhistas já conquistados. Diversas categorias estão nas ruas contra a intenção do atual governo em promover mudanças nesses direitos. Eles são contra a terceirização e defendem pontos como a previdência social, as empresas públicas e o pré-sal.

As principais centrais sindicais do Brasil (CUT, CTB, UGT, Força, NCST, CSP-Conlutas e Intersindical) e as entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo organizaram a mobilização, que tem como slogan ‘Rumo à greve geral e por nenhum direito a menos’. As paralisações, atrasos na entrada, assembleias nas portas dos locais de trabalho, passeatas e manifestações ocorreram durante todo o dia.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários de Juazeiro e Região, Maribaldes da Silva, é preciso a união da categoria para defender os direitos trabalhistas e contestar as alterações que o atual presidente Michel Temer está querendo fazer em relação à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e à Previdência. “Somos contra uma reforma da Previdência que estipule uma idade mínima para aposentadoria; um absurdo querer aumentar a jornada de trabalho. Estamos na luta por nossos direitos e melhorias. Convocamos todos os bancários de Juazeiro e região para participar desse movimento em frente aos bancos da cidade”, disse.

Garantia

Além das dezenas de projetos que preveem a ampliação da terceirização apoiada por Temer, vários ministros do governo falaram em outras propostas que tiram direitos da classe trabalhadora, entre elas, a reforma da Previdência, com idade mínima de 65 anos e redução de benefício; mudanças na Lei trabalhista para permitir acordos de redução de salários, 13º e fatiamento das férias; e a PEC 241 que reduz os investimentos sociais, em especial nas áreas de saúde e educação.

As centrais sindicais defendem um projeto de desenvolvimento com geração de emprego e distribuição de renda, trabalho decente, aposentadoria digna e a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução de salário. (foto: Ascom SEEB/Juazeiro divulgação)

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Filomena acompanhará paralisação nacional da categoria nesta quinta

santa-filomena-sindicato-servidores

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Santa Filomena (Sintesf), no Sertão do Araripe pernambucano, vai acompanhar a paralisação nacional da categoria nesta quinta-feira (22), em defesa da Lei do Piso. De acordo com a coordenação do Sintesf, haverá uma assembleia geral para tratar de assuntos de interesse da categoria.

Na ocasião um advogado do Sintesf e um representante de plano de saúde também estarão presentes, para quem tiver interesse em adquirir um plano. Os profissionais com pendências devem levar todos os seus documentos para repassar ao jurídico do Sindicato.

Em assembleia, Sindsemp anuncia filiação à CUT e apoio à paralisação nacional dos servidores

sindsemp-e-cut

O Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) decidiu engrossar a paralisação nacional da categoria no próximo dia 22/09, conforme o diretor de Política Sindical, Edson Santos, havia adiantado esta semana à imprensa. Esta foi apenas uma das deliberações tratadas numa assembleia geral ordinária, realizada na manhã de ontem (16) no Hotel do Grande Rio, Centro da cidade, que contou com a presença de cerca de 600 servidores.

No evento também foram definidos os encaminhamentos para a Campanha Salarial 2017, além da alocação do Clube do Sindsemp, que a partir de agora será exclusivamente para sócios e dependentes, com taxa reduzida de R$ 800 para R$ 200.

Na mesma assembleia, o presidente do Sindsemp, Walber Lins, anunciou a filiação da entidade à Central Única dos Trabalhadores (CUT). O presidente da CUT-PE, Carlos Veras, esteve no evento e destacou que a parceria com o Sindsemp “vai fortalecer a luta pelos direitos dos trabalhadores em âmbito nacional”. Já Walber ressaltou que essa “é uma forma de reconhecimento e gratidão” pelo apoio que o Sindsemp já recebeu da Central.

Vários outros pontos da pauta relacionados aos interesses dos servidores do quadro também foram fechados. Entre eles está o debate dos candidatos a prefeito, que vão apresentar suas propostas à categoria, marcado para o próximo dia 23/09. (fonte/foto: Ascom Sindsemp/divulgação)

Secretário municipal e representantes do Sindsemp reúnem-se para resolver impasse acerca de melhorias dos servidores de Petrolina

geraldo-junior-e-walber

O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão da Prefeitura de Petrolina, Geraldo Júnior, e o diretor-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindsemp), Walber Lins, reuniram-se esta semana para discutir pontos de interesse da categoria.

Fizeram parte da pauta a Lei Orçamentária para 2017, além de questões relativas ao Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV), ao instituto previdenciário dos servidores (o Igeprev), pagamentos dos profissionais de saúde, o reajuste e retroativo referentes a julho e a necessidade de algumas regulamentações na legislação que trata de assuntos da categoria. Parte da diretoria do Sindsemp também participou da reunião.

Os representantes do sindicato já deixaram claro, em recente entrevista a este Blog, que os servidores poderão deflagrar um movimento grevista até o dia 16 de setembro, caso a administração não siga a lei. (foto/Ascom PMP divulgação)

Em Afrânio, prefeita-candidata libera servidores em dia de debate eleitoral e levanta controvérsia

prefeitura afrânio2A prefeita de Afrânio (PE) Lúcia Mariano, que disputa a reeleição, levantou controvérsia ao liberar os servidores do quadro nesta sexta-feira (9). Coincidentemente será o dia do primeiro debate eleitoral entre os candidatos a prefeito do município.

Tem gente que saber da justiça eleitoral o que achou da decisão de Lúcia, uma vez que ontem (7) já foi feriado nacional em comemoração à Independência do Brasil e hoje praticamente o expediente ficará ‘imprensado’. Com a palavra, a prefeita ou algum representante da administração.

 

Presidente do Sindsemp rechaça conotação política para possível greve dos servidores: “Queremos apenas o que é de direito da categoria”

walber sindsempO presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp), Walber Lins, descartou qualquer conotação eleitoral com a possível greve da categoria, que pode acontecer até o próximo dia 16 deste mês.

Para Walber, a entidade está acima dessas questões. “O Sindicato é uma representação legítima do servidor, não tem cara de partido porque não é vinculado a nenhum partido”, destacou.

Ele deixou claro ainda que o Sindsemp não tem vinculação com nenhuma campanha majoritária em Petrolina. “Até porque a lei nos veda isso, e nem é do nosso interesse estarmos vinculados a algum candidato”, ressaltou. Por último, Walber salientou que se reivindicação do sindicato foi enxergada como algum indício de politicagem, é do ponto de vista do candidato. “Nós estamos aqui para defender o direito do servidor. Se o direito está previsto na lei, nós só queremos o cumprimento da lei. Não queremos mais nada do que seja o justo, o correto, o que é de direito do servidor”, concluiu o presidente.

Sindsemp perde a paciência com Prefeitura de Petrolina e servidores podem antecipar estado de greve

walber e diretores sindsemp

O Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) pode antecipar uma paralisação cogitada para o próximo dia 16, quando realizará uma assembleia ordinária com a categoria. Em primeira mão, o presidente da entidade, Walber Lins, disse ao Blog, que o motivo se deve ao fato de a prefeitura ter cumprido apenas parte da promessa feita na última terça-feira (30/08) pelo secretário de Orçamento, Planejamento e Gestão, Geraldo Júnior, em relação aos 5,67% referentes à segunda parcela do reajuste dos servidores, previsto em lei.

Na ocasião Geraldo Júnior assegurou, diante de Walber e de dezenas de servidores que foram até a Casa Plínio Amorim, que o reajuste – referente a categorias sem lei específica sobre a matéria – seria pago na quarta-feira (31/08). Entretanto os profissionais da saúde ficaram novamente sem receber o benefício.

Segundo Walber, que veio acompanhado de Edson Santos (diretor de política sindical) e Jeremias Júnior (1° secretário do Sindsemp), esse problema vem ocorrendo durante toda a gestão do prefeito Julio Lossio. “O calendário de pagamento dos servidores da saúde nunca foi igual ao das demais categorias”, lamentou. Ele informou que os profissionais devem receber seus salários na próxima segunda-feira (5), mas sem o reajuste, “que talvez seja pago numa folha suplementar”, e também não terão o retroativo do mês de julho.

O presidente do Sindsemp considera “inadmissível” o fato, uma vez que Geraldo comprometeu-se de viva-voz com a categoria, na última terça. Além disso o secretário teve quase um ano para que a prefeitura cumprisse sua parte. “Quem é técnico sabe que programação e planejamento vêm antes de tudo”, alfinetou. Walber disse ainda que a gestão sabia que atingiria o patamar dos R$ 14 milhões a mais de receita, o que daria para honrar com seus compromissos perante a categoria. Ele revelou ainda que, numa reunião com a atual secretária de Saúde, Mara Gonçalves, semana passada, foi informado que Geraldo não teria repassado as informações para gerar o pagamento, uma vez que os recursos humanos da pasta são distintos dos demais da prefeitura.

Estado de greve

Walber rebateu o argumento de Gerado quanto ao pagamento do retroativo de julho no mês de setembro, juntamente com os vencimentos dos servidores. “Após a apuração (da receita) no dia 30 de julho, ele teria condição de ter pago na folha de agosto”, ressaltou. Diante desse cenário, a paciência dos servidores, conforme o presidente, está chegando ao fim porque não estão vendo a prefeitura cumprir a lei. “Tenho sempre dito que nós somos pacíficos, mas não somos passivos. Ele tem que honrar a palavra. Se até o dia 15 de setembro a administração não pagar o reajuste e o retroativo, nossa pauta do dia 16 é o estado de greve”, cravou.

Reforçando as palavras de Walber, o diretor de Política Sindical do Sindsemp, Edson Santos, fez questão de tranquilizar os servidores da saúde. Ele reiterou que o sindicato vem tomando todas as medidas no sentido de que a administração cumpra a lei. “Estamos ouvindo bastante os servidores e é possível que até bem antes do dia 16 possamos fazer algumas ações”, finalizou. A reportagem tentará um contato com o secretário Geraldo Júnior sobre o assunto.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br