Gestora do Setranvasf garante: Sem reajuste na tarifa, melhoria na qualidade do transporte coletivo é impossível

Josiclea SetranvasfSe o ‘vai-e-vem’ do reajuste na tarifa de ônibus em Petrolina incomoda o usuários do transporte coletivo na cidade, não deixa menos desconfortável o Setravasf – que responde pelas duas principais empresas do setor: Joalina e Viva Petrolina. Quem garante isso é a gestora da entidade, Josicléa Rodrigues.

Em entrevista a este Blog, ela admite que o passageiro tem de fato de saber quanto custa a tarifa, e essa missão deveria vir da administração municipal, não via justiça, como vem acontecendo. “Quando não conseguimos com o poder público, temos de entrar na esfera judicial”, explica.

Josi (como é mais conhecida) lembrou que até o início de 2000 Petrolina tinha uma das frotas renovadas do Nordeste. E o transporte público na cidade começou a entrar em declínio justamente porque a tarifa não é calculada de forma técnica.

Como exemplo ela informou que a EPTTC, em agosto de 2014, apresentou uma planilha ao Conselho Municipal de Transporte, na qual chegava ao valor de R$ 2,62 para a área urbana. Segundo Josi, a empresa não cumpriu nem com sua planilha, já que tarifa determinada ficou em R$ 2,35. “E se fosse cumprida, seria de R$ 2,62”, detalhou.

Utilizando-se do argumento de que a passagem é cara para quem paga, mas barata para quem receber, a gestora da Setranvasf garante que para haver a qualidade do serviço visto na década de 2000, o bilhete deveria custar R$ 2,80. Ela também justifica outros fatores que tornam o reajuste inevitável. Um deles são as 280 mil pessoas beneficiadas pela gratuidade, a exemplo de idosos entre 60 e 64 anos, dos deficientes e do bilhete integrado – além de outros cem mil idosos acima dos 65 anos.

Ela informa ainda que há dois anos a passagem não é reajustada, enquanto nesse período o salário dos funcionários já aumentou duas vezes – sem contar o óleo diesel, também ligado à tarifa, que teve o preço do litro aumentado em 20%.

Esforços

Ainda assim, a Joalina e a Viva Petrolina vêm conseguindo atender às exigências do município no quesito renovação dos veículos. Além de implantar o serviço de GPS nos ônibus, a fim de melhorar a pontualidade para os usuários, ela garante que a frota vem sendo reposta. “A frota foi renovada em quase 25%, com veículos zero quilômetro e seminovos. Aos trancos e barrancos as empresas vêm se esforçando para garantir a qualidade”, finalizou. A nova tarifa da área urbana, como adiantou o Blog no final de semana, passa a valer R$ 2,46. Como a EPTTC não foi notificada no sábado (20), quando saiu a decisão judicial, e somente nesta segunda-feira (22), o novo valor deve vigorar a partir de amanhã (23).

Lóssio cria grupo de trabalho para análise de tarifa de transporte público

Júlio Lóssio nova1O prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, decretou nesta terça-feira (30) a criação do Grupo de Trabalho que irá analisar o modelo da tarifa de transporte coletivo em Petrolina.

O grupo será formado por representantes dos poderes públicos e da sociedade civil como Agência Reguladora do Município de Petrolina (Armup), Empresa Petrolinense de Trânsito e Transporte Coletivo (EPTTC) – além de vereadores, Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Passageiros do Vale do São Francisco (Setranvasf), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolina (STR), comerciantes e representantes de entidades estudantis.

A entidade terá um prazo de 45 dias para apresentar um relatório com diagnóstico e sugestões, referentes ao assunto, que serão enviadas ao governo municipal, Câmara de Vereadores e MPPE. A notícia foi divulgada postada ontem (29)pelo próprio Lóssio, em seu Facebook, e divulgada por sua assessoria.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br